Com Brics, africanos deixam de ser ‘coitados’

Aumento dos investimentos dos BRICS no continente africano. Aonde estão aqueles “especialistas” que escreviam que o Brasil não tinha motivo para estreitar laços com países africanos e asiáticos? Há interesses estratégicos evidenciados no aumento dos investimentos não só do Brasil mas dos demais BRICS.

Veja a reportagem completa em http://www.cartacapital.com.br/economia/com-brics-africanos-deixam-de-ser-coitados/

Projeto autoriza plantio de cana-de-açúcar na Amazônia

Na revista Carta Capital encontramos essa informação de autorização de plantio de cana na Amazônia. Entretanto, na própria reportagem há uma explicação da inadequação da região para plantações de cana para fins comerciais (o clima é excessivamente chuvoso não havendo maturação da planta). Qual seria o interesse de aprovar plantações comerciais em áreas impróprias para esses cultivos? Talvez estejamos assistindo a mais um momento de degradação da Floresta Amazônica e do Cerrado com vista à especulação no campo sem atividades produtivas de fato. É mais um capítulo do velho filme de “ocupação da Amazônia” ou de “expansão das fronteiras agrícolas” que tenta se respaldar em argumentos de “desenvolvimento para essa pobre região”. A “pobre região” Amazônica não é pobre e deve receber projetos de desenvolvimento que harmonizem as atividades econômicas com a natureza e as populações que habitam a região. Já basta de antigas fórmulas desenvolvimentistas que provaram repetidas vezes seu fracasso na região.

Artigo completo em http://www.cartacapital.com.br/politica/projeto-autoriza-plantio-de-cana-de-acucar-na-amazonia/

Abraços a todos!

ainda sobre a cracolândia: chegou apenas um pouquinho atrasado…

Apenas três meses depois da desastrosa operação da PM de São Paulo sobre a “cracolândia” é que o centro de reabilitação é entregue para a população.

Gostaria de saber como é que as autoridades da cidade e do estado de São Paulo vão recolher aqueles que a imprensa passou a chamar (sem qualquer pudor) de “zumbis” do crack? Seria necessária outra super operação policial-repressiva?

Leia a reportagem – desprovida de qualquer crítica – do Estadão.

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,sp-abre-complexo-para-tratar-do-crack,853675,0.htm

da revista carta capital: a águia e o dragão

A atual inserção da China no Sistema Internacional é marcada por mudanças sutis na política externa e na política econômica de Pequim que podem gerar importantes desdobramentos de médio e longo prazo.

Vicejou nos anos 2000 a ideia de que os EUA e a China vivem uma simbiose, a “Chimérica”, um sistema único que representava um quarto da população, um terço da economia e metade do crescimento do planeta, no qual chineses financiam e abastecem estadunidenses que em troca lhes oferecem seu mercado consumidor e financeiro. Combinada à ilusão monetária causada pela subvalorização do yuan, que fez o peso do setor externo na economia chinesa parecer maior do que realmente é, essa meia-verdade criou a ilusão de que Pequim teria seu crescimento pautado pelos EUA e jamais ousaria desafiá-lo.

O texto completo pode ser lido em http://www.cartacapital.com.br/internacional/a-aguia-e-o-dragao-2/?autor=25

Abraços a todos!

tem gente que não aprende…

Comercial da UE é acusado de promover xenofobia

Usuários de redes sociais entendem o vídeo como uma ofensa ao países emergentes; na propaganda, União Europeia é ‘Kill Bill’ e Brics, lutadores de artes marciais

Engraçado como, no final do vídeo, a diversidade desaparece dentro do bloco sobrando apenas “Europa”

No final do século XIX, Rudyard Kpling escreveu o poema “Fardo do Homem Branco” acerca do que nós viríamos a chamar de Imperialismo europeu na África e Ásia.

“O Fardo do Homem Branco”
Rudyard Kpling

Tomai o fardo do Homem Branco –
Envia teus melhores filhos
Vão, condenem seus filhos ao exílio
Para servirem aos seus cativos;
Para esperar, com arreios
Com agitadores e selváticos
Seus cativos, servos obstinados,
Metade demônio, metade criança.

Tomai o fardo do Homem Branco –
Continua pacientemente
Encubra-se o terror ameaçador
E veja o espetáculo do orgulho;
Pela fala suave e simples
Explicando centenas de vezes
Procura o lucro de outro
E outro ganho do trabalho.

Tomai o fardo do Homem Branco –
As guerras selvagens pela paz –
Encha a boca dos Famintos,
E proclama, das doenças, o cessar;
E quando seu objetivo estiver perto
(O fim que todos procuram)
Olha a indolência e loucura pagã
Levando sua esperança ao chão.

Tomai o fardo do Homem Branco –
Tem a mão-de-ferro dos reis,
Mas, sim, servir e limpar –
A história dos comuns.
As portas que não deves entrar
As estradas que não deves passar
Vá, construa-as com a sua vida
E marque-as com a sua morte.

Tomai o fardo do homem branco –
E colha sua antiga recompensa –
A culpa de que farias melhor
O ódio daqueles que você guarda
O grito dos reféns que você ouve
(Ah, devagar!) em direção à luz:
“Porque nos trouxeste da servidão
Nossa amada noite no Egito?”

Tomai o fardo do homem branco –
Vós, não tenteis impedir –
Não clamem alto pela Liberdade
Para esconderem sua fadiga
Porque tudo que desejem ou sussurrem,
Porque serão levados ou farão,
Os povos silenciosos e calados
Seu Deus e tu, medirão.

Tomai o fardo do Homem Branco!
Acabaram-se seus dias de criança
O louro suave e ofertado
O louvor fácil e glorioso
Venha agora, procura sua virilidade
Através de todos os anos ingratos,
Frios, afiados com a sabedoria amada
O julgamento de sua nobreza.

A Europa atravessou todo o século XX e parece teimar em não aprender…

Reportagem completa do Estadão em http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,comercial-da-ue-e-acusado-de-promover-xenofobia,105540,0.htm

Abraços a todos!