ainda… xenofobia européia!

Olá!

E se fosse aqui…?

Com a crise econômica européia há crescente fluxo migratório do “velho mundo” para países “emergentes”. E se os brasis, os méxicos e as índias… operacionalizassem os mesmos procedimentos, fizessem os mesmos discursos políticos de criminalização da imigração?

Mas… Ainda é – sempre é! – por lá…

“Xenofobia institucional contra a imigração na Espanha?
A União Europeia parece incubar inconscientemente o ovo da serpente. Se Le Pen obteve o respaldo de quase 20% do eleitorado, isso ocorreu em grande medida porque Sarkozy cultivou o argumento da imigração como ameaça. A Espanha segue essa lógica, negando aos imigrantes a igualdade no direito a ter direitos. Projeto estabelece que só terá acesso ao sistema de saúde imigrantes em situação legal. São essas políticas que semeiam o ódio, não a presença dos imigrantes. O artigo é de Javier de Lucas.”

Artigo completo em http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20024

P.S.: que bom que esse discurso tacanho ainda não aportou por aqui…

Abraços a todos!

Política keynesiana não se confunde com consumismo

Olá!

Trata-se de um tema atual, terrivelmente maltratado pela imprensa de maior penetração que tem viés conservador (ou econômico ortodoxo ou neoliberal): o problema da crise que se arrasta desde 2008 com maiores implicações para a Europa na atualidade.

Assim, esse texto ganha maior importância:

“(…) Quando um país está em recessão, só existem três alternativas para sua recuperação: o estímulo ao consumo interno para estimular indiretamente o investimento e o emprego, o estimulo à demanda externa (exportações) ou uma ação pela lado da oferta, isto é, a facilitação e barateamento do crédito para favorecer diretamente o investimento”

Artigo completo em http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20012

Abraços a todos!

resolvendo o vestibular…

Oi…

Finalizando a série da noite de “muros físicos e virtuais”, formas de exclusão e controle, segue uma questão do vestibular da UNICAMP.

No tão velho vestibular 1999 a UNICAMP formulou essa questão:

A imagem do guarda com apito e bloquinho para anotar as infrações de trânsito é coisa do passado. Hoje, nas grandes cidades brasileiras, os olhos do ‘multador’ podem estar em qualquer parte, em câmeras de vídeo ou fotográficas prontas a registrar um excesso de velocidade ou uma conversão proibida. Como no livro ‘1984’ de George Orwell, as câmeras funcionam como o “grande irmão” que tudo vê. * (Folha de São Paulo, 12/05/97, adaptado)
Este é um exemplo das transformações que estão ocorrendo no espaço geográfico e nas formas como as pessoas se relacionam entre si e com este espaço. Outro exemplo é o das câmeras existentes nos condomínios fechados, controlando a chegada de visitantes ou de estranhos.
* 1984 é um livro, escrito em 1948, que, entre outras coisas, previa um futuro no qual o controle da sociedade se daria pelo “grande irmão”
a) Como estas transformações interferem na vida das pessoas?
b) Explique, a partir do texto, a função desempenhada pelo espaço geográfico na sociedade contemporânea.

Elabore sua melhor resposta e compare com a resolução da COMVEST em vestibular R2

Abraços a todos!

no mundo virtual, segregação e controle

Olá!

Sugiro, na linha do post anterior, uma reflexão sobre outras formas de controle e separação no mundo contemporâneo da câmera, internet e vigilância.

“Lições de 1984

(…)

Há, e sempre haverá, conflitos longínquos, reais ou virtuais, mobilizando oportunamente nossos espíritos para nos fazer ignorar injustiças demasiado próximas. Sempre haverá, sob um nome qualquer, o espectro da Crise encarregado de amedrontar os cidadãos “normais”, com o objetivo ora de reforçar seu medo conformista de felicidade, ora de exacerbar neles inúteis ódios de potências fantasiosas.

(…)

Sempre haverá especialistas da história empenhados em refazer o passado para justificar o presente, façam eles sua pregação através de livros, programas de televisão ou novelas, assim como especialistas da “comunicação” pagos para nos impor como Realidade a fantasmagoria sonora com a qual o sistema da mídia ornamenta e falsifica o meio em que vivemos.”

Artigo completo no endereço http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=174&tipo=acervo

Abraços a todos!

muros! para todos os (des)gostos

Olá!

Atendendo a um pedido, apresento esses artigos e reportagens sobre as diversas formas de segregação física e institucional que se proliferaram no mundo pós Guerra Fria. O fim do Muro de Berlim foi apenas o começo…

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/11/091106_murosmundo_video.shtml

http://expresso.sapo.pt/um-mundo-de-muros-grafico-animado=f544692

http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=703

Abraços a todos!

resolvendo o vestibular…

Olá!

Vamos inaugurar um novo espaço no blog com objetivo de alcançar maior adequação entre as respostas dadas pelos alunos em questões diversas e as exigências dos vestibulares. Para tanto, vamos aproveitar os sites de alguns bons exames vestibulares que disponibilizam a expectativa de resposta das questões e algumas considerações sobre o desempenho dos vestibulandos.

Seguem abaixo dois arquivos: o primeiro traz uma questão de vestibular que o aluno deve tentar responder da melhor forma possível; o segundo, a resolução da questão pela instituição do exame vestibular e alguns comentários. Assim, o aluno pode usar de autocrítica para verificar seu desempenho na questão.

Para inaugurar esse espaço, não poderia usar algo diferente de uma questão do vestibular da UNICAMP.

vestibular Q1

vestibular R1

Uma observação. Essa questão está parcialmente ligada ao texto “O Federalista” postado aqui no site.

Abraços a todos!

Argentina, YPF e mídia

É raro, eu sei… Mas é possível ler um artigo com isenção intelectual e capacidade de exercício de crítica na imprensa brasileira. No mar de acusações mal formuladas contra a presidente da Argentina, surge o artigo do Jornal do Brasil com o depoimento do professor de Relações Internacionais da UERJ:

Para o professor de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Williams Gonçalves, a atitude do governo argentino tenta reparar um erro histórico de privatização de um setor estratégico para a política econômica do país.

“O que a presidente Kirchner está fazendo é reparar um erro do governo Menen, que privatizou o que não se privatiza”, disparou, em alusão à importância do setor de hidrocarbonetos. “Enquanto no mundo inteiro se disputa com armas, como um Estado pode privatizar todo seu complexo de geração de energia?”

Texto completo (e vale uma boa leitura) em http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2012/04/17/especialistas-acreditam-que-expropriacao-da-repsol-abre-oportunidade-a-argentina/

Abraços a todos!