Falklands… Malvinas…

Olá!

Um argentino amante da literatura britânica; um inglês leitor de Cervantes. Apenas a sensibilidade de Borges para produzir um texto como este em meio ao conflito pelas ilhas:

Juan López e John Ward
Tocou-lhes por azar uma época estranha.
O planeta havia sido dividido em distintos países, cada um dotado de lealdades,
De queridas memórias, de um passado sem dúvida heróico, de direitos, de agravos,
de uma mitologia singular, de próceres de bronze, de aniversários, de demagogos e de símbolos.
Essa divisão, cara aos cartógrafos, propiciava guerras.
Lopes nascera na cidade junto ao rio imóvel; Ward, nos arredores da cidade por onde andou father Brown. Havia estudado castelhano para ler o Dom Quixote.
O outro professava a paixão por Conrad, revelada em uma aula da rua Viamonte.
Teriam sido amigos, mas só se viram uma vez, cara a cara, em umas ilhas por demais famosas, e cada um dos dois foi Caim, e cada um, Abel.
Foram enterrados juntos. A neve e a corrupção os conhecem.
O caso que lhes conto ocorreu num tempo que não podemos entender…

Abraços a todos!