rio +20 – questões ambientais 3

Olá!

Seguem mais dois textos sobre problemas ambientais debatidos na conferência do meio do ano.

  • economia verde – texto de José Eustáquio Diniz Alves sobre a evolução de conceitos socioeconômicos e ambientais: desde crescimento econômico, renda per capita, desenvolvimento econômico, desenvolvimento sustentável, economia verde e estado estacionário.
  • Principais Pontos da Declaração Final – texto-resumo sobre os aspectos finais da conferência Rio +20 com destaque para os pontos que não resultaram em resoluções objetivas: quase todos…

Abraços a todos!

educação superior: caminhos perigosos

Olá!

O governo francês tomou nos últimos anos medidas liberalizantes utilitaristas em reformas do ensino superior: mera adequação do ensino ao mercado, esvaziamento da capacidade crítica, cobranças livres de mensalidades. (Le Monde Diplomatique Brasil: Por que o preço das universidades dispara em todo o mundo?)

São medidas já tomadas em outros países europeus e em Quebec, no Canadá.

Como nossas elites (pouco) pensantes gostam de imitar a Europa sem olhar para os vizinhos (os protestos de estudantes no Chile), vale a pena ficar atento.

A educação só pode ser um serviço público para exercício de democrático da crítica.

Abraços a todos!

separatismo e crise

Olá!

Capitalismo e nacionalismo ufanista são dois elementos nefastos. Torna-se ainda pior quando temperados pela atual crise econômica.

Velhos separatismo inertes da Espanha querem ganhar vida.

O problema é que essas regiões isoladas são ainda mais frágeis frente ás demandas do voraz sistema financeiro.

Seguem dois artigos do Opera Mundi.

Em meio a onda separatista, presidente da Catalunha antecipa eleições

Após semana de protestos, rei da Espanha faz apelo por unidade “em momento decisivo”

Abraços a todos!

Eliot – Terra Gasta

Que raízes são essas que se arraigam, que ramos se esgalham
Nessa imundície pedregosa? Filho do homem,
Não podes dizer, ou sequer estimas, porque apenas conheces
Um feixe de imagens fraturadas, batidas pelo sol,
E as árvores mortas já não mais te abrigam, nem te consola o canto dos grilos,
E nenhum rumor de água a latejar na pedra seca. Apenas
Uma sombra medra sob esta rocha escarlate.
(Chega-te à sombra desta rocha escarlate),
E vou mostrar-te algo distinto
De tua sombra a caminhar atrás de ti quando amanhece
Ou de tua sombra vespertina ao teu encontro se elevando;
Vou revelar-te o que é o medo num punhado de pó.