O Liberal…

Olá!

LIBERALISMO 1

Encontrei o vídeo que segue abaixo em uma pesquisa para preparação de aulas. Chega a ser irritante pela forma simplista de analisar a sociedade. Mas, como tantas pessoas pensam desta forma, talvez seja didático uma apresentação e breve comentário.

Primeiro, palavras de Condorcet:

Existem obras, instituições, estabelecimentos úteis para a sociedade em geral, que esta deve implantar, dirigir ou fiscalizar e que suprem aquilo que as vontades particulares e os interesses individuais não podem realizar de imediato, seja a favor do desenvolvimento da agricultura, da indústria, do comércio, seja para prevenir para atenuar os danos inevitáveis da natureza ou os provocados por acidentes imprevistos.

O autor do vídeo abaixo deve acreditar que Condorcet é um Keynesiano ou um Comunista…

 

Contra essa forma simplista de entendimento da realidade, seguem duas reflexões:

1. Fumo como direito individual.
Há clara ignorância (ou má intenção) ao se afirmar que o ato de fumar é um direito. As justificativas, tão superficiais quanto insustentáveis, passam pela ideia de uma ação individual que só de gerar consequências para o próprio sujeito da ação.
Como alguém ainda afirma isso na atualidade?

  • A fumaça do cigarro não obedece à “lei” de gerar problemas de saúde apenas para o fumante. O fumo passivo causa doenças diversas e graves em quem não é fumante. 
  • As pessoas que trabalham em ambientes de fumantes sofrem ainda mais. Não é possível falar em “opção pessoal” acerca de um trabalhador não fumante que é obrigado, por força de recebimento de salário, a aguentar um ambiente de fumantes. 
  • Há um custo social e econômico do cigarro. A FIOCRUZ divulgou pesquisa sobre custos de mais de 300 milhões de reais no tratamento de pacientes com câncer com mais de 35 anos. A própria Fundação diz em nota que a pesquisa não cobriu deiversas outras doenças além dos custos de dispensas médicas do trabalho e aposentadorias precoces.

http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1651&sid=9

Apenas quem tem precário entendimento da sociedade pode pensar o cigarro como um direito individual.

A análise acima apresenta caráter didático, por mais banal que possa parecer: Há quem pense que os atos que, aparentemente, se voltam apenas ao seu autor não podem ser inibidos pelo Estado. Grave engano! Aquilo que o incauto pensa ser um ato com consequências estritamente individuais é, na verdade, um ato com graves consequências sociais e precisa ser regulado pelo poder público. Caso contrário não haveria, por exemplo, qualquer sustentação para proibição de qualquer droga considerada ilícita.

 
2. Tendência de pobreza na sociedade que pratica justiça distributiva com vistas à justiça social.
A hipótese que busca relacionar políticas públicas de igualdade social com aumento da pobreza geral não corresponde à realidade. Se tomarmos riqueza como negação da pobreza, como efetivação de uma vida digna para a população, a perspectiva de igualdade social não pode levar à pobreza!
Para confirmarmos, façamos um comparativo, no mínimo, covarde: A maior economia do mundo, templo do capitalismo liberal, contra uma pobre ilha da América Central com seu isolado governo socialista. Vejamos os resultados:
comparativo

Claro que há poucos celulares da Apple na ilha comunista. Também quase não há analfabetismo e mortalidade infantil.

LIBERALISMO 2

 

Abraços a todos!