Primavera (?) Árabe

Olá!

Protester opposing Egyptian President Mursi gestures at riot police during clashes in Cairo

Primavera, verão, outono ou inverno Árabe? A imprensa já esgotou as estações do ano em apelidos para os levantes árabes iniciados com os eventos de dezembro de 2010 na Tunísia e que se desenrolam até agora.

No princípio, a imprensa americanófila caracterizava o fenômeno como levante pacífico das populações civis contra governo autoritários enraizados no poder há décadas. Depois, com as tendências de governos influenciados pelo islamismo político, essa mesma imprensa usou de criatividade nas novas denominações sob inspiração de Vivaldi. Isso demonstra, apenas, o desconhecimento do fenômeno por boa parte do Ocidente. Ou ainda, um esforço de desinformação de setores da mídia sobre a dinâmica política dessas populações árabes ou muçulmanas.

Para aclarar o tema, seguem algumas informações em vídeo e textos de acadêmicos. Seguem também, um resumo de uma apresentação de sala, assim como a própria apresentação.

Textos de acadêmicos e especialistas:

Apresentação de sala: apresentação de sala

Texto-resumo da apresentação de sala: evolução das tensões e transformações políticas nos países árabes

 

Vídeo sobre a instabilidade do poder no Egito ao longo do governo Morsi.

 

Características políticas das sociedades islâmicas.

 

Desenrolar da guerra civil na Síria

Abraços a todos!

xisto: panaceia e desastre

Olá!

oleo

Alguns setores econômicos, veiculados por uma imprensa irrefletida ou sob má intenção, vendem a ideia de um novo combustível limpo e barato: o xisto. A verdade está muito longe disto…

Segue abaixo uma apresentação sobre o tema e dois vídeos.

Xisto

vídeo: xisto 1: video sem som que mostra o processo de fraturamento hidráulico

 

 

vídeo: xisto 2: alguns problemas socioambientais relacionados com a exploração do combustível.

 

Abraços a todos!

homofobia…

Olá!

Do site Wikipédia, encontramos dois ganhadores do Prêmio Nobel da Paz:

homofobia

No site Opera Mundi há reportagens sobre esses senhores:

Lech Walesa faz declarações ofensivas aos homossexuais na Polônia – Ex-presidente e Nobel da Paz diz que é da “velha escola” e que a “minoria tem de aceitar a maioria”: “que sentem na última fileira do Parlamento”.

“Prefiro o inferno a um paraíso homofóbico”, diz Nobel da Paz e líder religioso africano –  Desmond Tutu, um dos principais ativistas na luta contra o apartheid, participa de campanha internacional da ONU pela comunidade LGBT.

Acredito que existam católicos muito diferentes. Assim como diferentes pessoas agraciadas com o Nobel da Paz.

Clique no link para a reportagem na íntegra.

Abraços a todos!