Vil metal e suas manifestações

Olá!

Quentin Massys 001.jpg

A obra acima é “o cambista e sua mulher”, de Matsys de 1514. O “cambista” é o homem dos negócios com moedas, algo como o banqueiro da atualidade. Evidentemente destacado no quadro é a mulher do cambista, observando atentamente o ofício do marido enquanto passa descompromissada as páginas de um livro: a Bíblia. O pintor, talvez, esteja fazendo uma crítica às tendências materialistas do fim do Medievo e início da Modernidade, com o avanço do capitalismo em uma sociedade pautada pelo aumento da riqueza sem pensar nas causas, consequências e eticidade do processo.

Em alguma parte do livro folheado pela desatenta mulher há uma passagem mais ou menos assim: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza”.

Não quero com isso ter apelo religioso na crítica à formação de uma sociedade baseada no deus riqueza. Talvez a crítica valha para evidenciar a hipocrisia de uma sociedade que lê livros que condenam os adoradores do “cordeiro de outro” e faz exatamente a mesma coisa no cotidiano.

Mas, para além da hipocrisia, há que se pensar em um padrão desviante, uma doença, uma obsessão. A retenção do ouro, das riquezas, já foi entendida por diferentes psicanalistas como semelhante a retenção fecal, processo que lembra uma das fases de desenvolvimento da libido em Freud.

“O vulgo captou plenamente a relação inconsciente que existe entre a matéria fecal e o dinheiro, a que chama “o vil metal” ou o “dinheiro sujo”, e muitas situações econômicas são igualmente definidas com termos usados de maneira corrente para designar as fezes ou o que está vinculado a elas. Na Argentina, chama-se quem não tem dinheiro de “seco” — e “seco” também é o indivíduo com prisão de ventre”. (Tallaferro)

Se na Argentina a prisão de ventre é tratada por “seco”, no Brasil pode ser tratada como “apertado”, denominação semelhante a de quem está represando seus gastos.

Para aprofundar esse tema interessante, segue um texto apresentado no site “outras palavras”. Clique no link ao lado: Capitalismo, dinheiro e excrementos.

170227-Dinheiro3

Boa sorte a todos!